sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Como instalar DuZeru GNU/Linux mais fácil com cfdisk




Instalação e configuração do Clementine no Duzeru

Clementine é um player de músicas de código livre fácil e intuitivo no uso. O aplicativo reproduz cds ou mídias em pen drives/Hd externo, feito para encontrar as músicas de forma rápida para tocar as músicas.

CARACTERÍSTICAS

 Algumas das características do Clementine tiradas do próprio site do projeto são:

  • Busque e reproduza a sua biblioteca musical.
  • Ouça rádio na Internet Spotify, Grooveshark, SomaFM, Magnatune, Jamendo, SKY.fm, Digitally Imported, JAZZRADIO.com, Soundcloud, Icecast e Subsonic servers.
  • Busque e toque as músicas que você armazenou no Box, Dropbox, Google Drive, e OneDrive
  • Crie listas de reprodução inteligentes e listas dinâmicas.
  • Listas de reprodução em abas, importe e exporte M3U, XSPF, PLS e ASX
  • Suporte a CUE sheet.
  • Toque CDs de áudio.
  • Visualizações com o projectM.
  • Letras de música, biografia de artistas e fotos.
  • Converta música em MP3, Ogg Vorbis, Speex Ogg, FLAC ou AAC.
  • Edite tags em arquivos MP3 e OGG, organize a sua música.
  • Obtenha tags que faltam nas músicas partir do MusicBrainz.
  • Procure e baixe Podcasts
  • Baixe capas para seus álbuns a partir do Last.fm e Amazon.
  • Multi plataforma - Funciona em Windows, MacOS X e Linux
  • Notificações nativas da área de trabalho do Linux (libnotify) e Mac OS X (Growl).
  • Controle remoto usando um dispositivo Android, o Wii Remote, MPRIS ou a linha de comando.
  • Copie músicas para o seu iPod, iPhone, MTP ou qualquer armazenador em massa por USB.
  • Gerenciador de filas.

INSTALAÇÃO

Para instalar o aplicativo no Duzeru e Sistemas Operacionais baseados em Ubuntu/Debian basta seguir os passos abaixo.

  • :~# add-apt-repository ppa:me-davidsansome/clementine (caso não tenha o repositório do programa instalado);
  • :~# apt-get update
  • :~# apt-get install clementine
Você também pode procurar pelo aplicativo na Central de programas e clicar em instalar.

Fazer música grátis no LMMS freeware




quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Como formatar trabalhos acadêmicos segundo as normas da ABNT no Libreoffice Writer


Fim de semestre na faculdade é sempre a mesma coisa correto, pesquisas e mais pesquisas para concluir o semestre e pegar o tão sonhado diploma. Entretanto, muitos estudantes tem dificuldade na formatação das normas da ABNT e perdem um bom tempo aprendendo a usar o office para poder fazer a formatação da forma correta. No tutorial abaixo, veremos como fazer.

ESTRUTURA


A estrutura dos trabalhos acadêmicos se resumem basicamente em:

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

  • Capa: obrigatório;
  • Lombada: opcional;
  • Folha de rosto: obrigatório;
  • Errata: opcional;
  • Folha de aprovação: obrigatório;
  • Dedicatória: opcional;
  • Agradecimento: opcional;
  • Epígrafe: opcional;
  • Resumo na língua vernácula: obrigatório;
  • Resumo em língua estrangeira: obrigatório;
  • Lista de ilustrações: opcional;
  • Lista de tabelas: opcional;
  • Lista de abreviaturas e siglas: opcional;
  • Lista de símbolos: opcional;
  • Sumário: obrigatório.

 ELEMENTOS TEXTUAIS

  • Introdução;
  • Desenvolvimento;
  • Considerações finais.

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

  • Referências: obrigatório;
  • Glossário: opcional;
  • Apêndice: opcional;
  • Anexo: opcional;
  • Índice: opcional.

FONTE

Recomenda-se usar ou a fonte Times-New-Roman ou Arial tamanho 12 para o texto e tamanho 11 para fazer citações de mais de três linhas, notas de rodapé, paginação e legenda das ilustrações e tabelas. Caso no seu writer não tenha nenhuma das duas fontes instaladas, basta acessar sites de fontes como Dafont ou Font Squirrel e procurar pela fonte que necessita. (Para instalar a fonte no seu sistema operacional, basta clicar com o botão direito do mouse e instalar. Pode ser feito dessa forma tanto no Windows, como no Linux).



MARGENS

As margens devem obedecer as seguintes especificações, margem superior e esquerda são 3 cm e margem inferior e direita são 2 cm. Para configurar, basta acessar o menu Formatar > Página > Página. Clique em aplicar e depois Ok.


RECUO E ESPAÇAMENTO

De modo geral, recuo e espaçamento devem usar os seguintes espaçamentos, sendo 1,5 de espaço de linha para o texto e 1,25 de recuo para a primeira linha a partir da margem da esquerda. O alinhamento deve ser justificado e sem usar espaçamento entre parágrafos. Ative a caixa de diálogo em Formatar > Parágrafo. Se necessário, clique em redefinir para poder voltar as configurações padrão.



QUEBRA DE PÁGINA

Permite que os títulos fiquem na parte superior da tela. Para poder ativar a função, clique em Inserir > Quebra Manual...

INDICATIVOS DE SESSÃO

1. SEÇÃO PRIMÁRIA: CAIXA ALTA E NEGRITO;
1.1 SEÇÃO SECUNDÁRIA: CAIXA ALTA;
1.1.1 Seção terciária: somente a inicial em caixa alta e negrito;
1.1.1.1 Seção Quartenária: somente a inicial maiúscula.
Ps: Para que não haja dúvidas, "caixa alta" e letra maiúscula é o mesmo.


 Para a formatação do trabalho, os títulos das seções se mostram bastante úteis, portanto, para ativá-lo, basta teclar F11 e ativar a função.

Essas são apenas algumas das funções que o libreoffice Writer dispõe para lhe ajudar na formatação correta do seu trabalho. Quero deixar claro também, que em momento algum este tutorial substitui as normas da ABNT, sendo que o tutorial é somente para ajudá-lo a fazer a formatação de forma mais rápida. Algo que acontece muito também, são orientadores e professores de formatação de trabalhos acadêmicos não "falarem a mesma língua" na hora de formatar.

Caso deseje, você também pode acessar o site da libreoffice em português, pois a comunidade brasileira faz um trabalho excelente de tradução e tutoriais que o ensinarão não só na formatação de trabalhos acadêmicos, como a formatação de outros tipos de documentos.

8 plugins que não podem faltar no seu site WordPress

Quem gosta de publicar artigos em um blog sobre determinado assunto, sabe que o WordPress possui recursos para fazer um site intuitivo e elegante para o leitor, além de plugins que fazem o site/blog ser encontrado mais facilmente pelos buscadores. Pensando nisso, separei 10 plugins que não podem faltar no seu site/blog.


1 - Jetpack

O plugin Jetpack é disparado o plugin que não pode faltar em seu site/blog. Ele vem com diferentes serviços acoplados em um único plugin, além de gerar maior segurança, ele monitora o site para saber quando está fora do ar e te avisa por email ou o formulário de contato que é fácil de usar e pode ser usado em qualquer página que precisar.

2 - Yoast SEO

Este plugin pode ser usado para ranqueamento nos buscadores. Explicando melhor, este plugin ajuda a ficar nas primeiras posições dos buscadores, ajudando assim seu site a ser mais visto.
3 - Brute Protect

Este plugin ajuda no combate contra ataques de força bruta. Para quem não sabe, ataque de força bruta é ataques onde o hacker faz diferentes tentativas para conseguir usuário e senha de acesso. O plugin bloqueia as tentativas de acesso, impedindo invasão.
4 - W3 Total Cache

Este plugin serve para poder deixar o site mais rápido, fazendo limpezas de cache periodicamente.

5 - Disqus

Disqus é um sistema de comentários para sites/blogs que pode ser integrado em diferentes plataformas, WordPress, Blogger, Presta Shopp, dentre outros. O interessante do Disqus é poder ver os comentários respondidos no próprio site deles, facilitando ainda mais moderar.
6 - Flare

Flare é um plugin de redes sociais para compartilhamento de conteúdo. Ao acessar o site, o leitor tem a opção de curtir e compartilhar o conteúdo de forma rápida com um design bem atraente.
7 - Mailchimp

Mailchimp é um plugin para conseguir assinantes de email. O plugin permite configurar datas para envio e configurar o tipo de artigos mandar.
8 - Q2W3 Fixed Widget

Este plugin permite que as widgets fiquem fixas. Por exemplo, se você desce a página, mas o conteúdo do artigo é maior que as widgets da sidebar, mas você quer que os widgets continuem descendo, ele permitirá.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Conheça o Vivaldi Browser

O Vivaldi Browser é um novo navegador com funções interessantes que irão fazer você querer testá-lo. O browser possui versões para Windows, Linux e Mac, podendo baixar os pacotes de instalação no próprio site. Aqui mostrarei como será a instalação do navegador dentro do sistema operacional Duzeru Linux. Caso queira, você também pode acessar esse link e conferir a instalação do sistema operacional que é nacional e show de bola.

INSTALAÇÃO


Para instalar o browser no seu linux, você pode fazer de duas formas diferentes. A primeira é:
  • 1º passo: ~#: sudo sh -c 'echo "deb http://repo.vivaldi.com/stable/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list'
  • 2º passo: ~#: wget -q -0 - http://repo.vivaldi.com/stable/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add - 
  • 3º passo: ~#: apt-get update
  • 4º passo: ~#: apt-get install vivaldi-stable
Somente esses quatro passos passos são necessários. Entretanto, se não der certo, você pode acessar a página de download do Vivaldi e fazer o download manual do arquivo .deb, salvar na pasta de sua preferência, abra a pasta onde o arquivo foi salvo e clique com o botão direito do mouse e passar o mouse em cima de "abrir com", onde você pode instalar com o Gdebi ou outro instalador de sua preferência. 


CARACTERÍSTICAS


O browser possui algumas características interessantes como fácil personalização, links rápidos para os favoritos, organização fácil com pastas dos favoritos, notas rápidas (anote o que for relevante rápido e organizado) e muito mais.

Recentemente, a empresa também está investindo no mercado de emails. Para criar um novo email basta acessar o link https://webmail.vivaldi.net/. Pelo que já vi do email, ele traz algumas funcionalidades interessantes, com um sistema de janelas que separa o email dos contatos, facilitando as conversas ou o envio de emails de forma bem organizada. 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Habilitar usuários sudo no CentOS

Digite no terminal e dê Enter: su
Senha: SuaSenha + Enter
# gedit /etc/sudoers

Onde tiver escrito: "root ALL=(ALL) ALL" adicione abaixo disto:
SeuUsuário ALL=(ALL) ALL
Salve e saia.

Vídeo demonstrando:

Adicionar user ao sudoers no Fedora

Faça este comando 1 vez só n erre este comando ou pode danificar o sistema:
# echo 'seu_username ALL=(ALL) ALL' » /etc/sudoers

Vídeo demonstrando:


Início do Projeto e Hoje em 2018